ilha-anhatomirim.jpg

As 5 Melhores Ilhas de Florianopolis que Você pode Visitar

As 5 Melhores Ilhas em Florianópolis que Você Pode Visitar

descubra quais ilhas você não pode perder no verão catarinense

A cidade de Florianópolis em Santa Catarina é conhecida como a Ilha da Magia graças à beleza de seus habitantes, vida noturna, natureza, suas praias e ilhas, etc, fazendo ser um dos melhores destinos para o verão no Brasil para quem gostar do mar.

Não é um exagero, como prova Floripa ganhou o prêmio de “Melhor Destino de Praia” em todo o Brasil no ano de 2017/2018.

Entre todas essas maravilhas, um dos grandes destaques- principalmente pra quem não gosta de trânsito e filas, são as Ilhas de Florianópolis.

Visitar uma ilha é uma chance de sair da rotina, fazer algo diferente do que você faz o ano todo, sentir o ar fresco e aproveitar não só o destino como também a viagem até lá, seja de barco, lancha, jet, nadando ou qualquer outro jeito que você conseguir ir.

Existem mais de 30 ilhas localizadas no município, algumas repletas de belezas naturais, outras repletas de história, mas infelizmente nem todas podem ser visitadas.

Para ajudar você a escolher entre tantas opções, fizemos uma lista das 5 melhores ilhas de Florianópolis que Você pode Ir Visitar durante o Verão Catarinense, tendo as ilhas que pertencem ao município e também aos outros municípios vizinhos.

Aliás, algumas delas são excelentes opções durante todo o ano, não só no verão.

Sem mais delongas, vamos à lista das 5 melhores Ilhas em Florianópolis que Você Pode Visitar:

  • 1- Ilha de Anhatomirim;
  • 2- Ilha do Campeche;
  • 3- Ilha do Arvoredo;
  • 4- Ilha do Francês.
  • 5- Ilha do Ratones;

Ilha de Anhatomirim

Algumas ilhas têm belezas naturais, outras uma rica história, mas pouquíssimas combinam ambas qualidades igual a Ilha de Anhatomirim, também conhecida como Ilha do Pequeno Diabo.

Localizada no Município de Governador Celso Ramos, Baía Norte do estado de Santa Catarina, próximo a Florianópolis, tem muita beleza natural, contando com duas pequenas praias em que você pode ver até mesmo golfinhos, estrelas do mar e outros animais.

Também tem beleza nas suas construções antigas, desde a chegada pelo trapiche e escadaria de pedra até os canhões de guerra e instalações.

O que nos leva à outra razão dessa ilha ser tão maravilhosa, os acontecimentos que ocorreram na ilha e a marcam até hoje.

Lá está a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim construída em 1739 para proteger Santa Catarina de invasões, sendo a principal defesa do estado.

Desde então, a ilha vem coletando uma série de fatos interessantes:

  1. Foi invadida e ocupada pelos Espanhóis por pelo menos 8 meses até ser devolvida;
  2. Virou um presídio isolado da civilização durante a Guerra do Paraguai, uma espécie de alcatraz brasileira;
  3. Serviu de base da Revolução Imperialista contra o governo brasileiro;
  4. Ponto de execução de cerca de 170 pessoas, julgados rebeldes pelo governo;
  5. Também serviu de sanatório e ponto de quarentena para os doentes e enfermos;
  6. Até os dias atuais em que serve de ponto turístico e patrimônio histórico do Brasil, sendo visitado por milhares de pessoas todos os anos.

Por essas razões, essa é para muitos uma das melhores ilhas de toda Santa Catarina.

Como chegar até a Ilha de Anhatomirim?

Bem, é uma ilha então somente através do mar.

Você tem diversas opções de transporte, podendo sair de Florianópolis ou de Governador Celso Ramos.

Mas, com toda certeza, a forma mais divertida é de Barco Pirata saindo de Canasvieiras em Floripa.

O roteiro é um dos preferidos dos turistas que vem para a Ilha da Magia e inclui até mais do que só a Ilha de Anhatomirim:

  • > Saída do Trapiche de Canasvieiras;
  • -> Passagem pela Baía dos Golfinhos;
  • -> Parada para almoço na Praia da Costeira da Armação (Opcional);
  • -> Ilha de Anhatomirim ( Inclui o tour histórico lá);
  • -> E finalmente a parada para banho na Ilha do Francês.

Você pode reservar seu passeio de barco pirata clicando no botão abaixo

Passeio de Barco Pirata até a Ilha de Anhatomirim


Ilha do Campeche

Também conhecida como o Caribe Brasileiro, a Ilha do Campeche tem uma das praias mais belas de todo Brasil, sendo considerada por muitos a melhor de toda Florianópolis.

Embora não tenha história incrível igual à ilha de Anhatomirim, é muito rica em biodiversidade sendo um dos ecossistemas mais ricos do sul do país, ideal para se conectar com a natureza.

Tanto que a Ilha é tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional, sendo administrada por uma associação que busca preservar o local.

De toda essa riqueza natural, o animal que mais chama atenção dos turistas são os Quatis, mamífero que constantemente se aproxima dos turistas à procura de comida.

E claro as águas azuis cristalinas são o principal chamariz da ilha.

Porém, a ilha não é só maravilhas, a água é gelada por estar em mar aberto, tornando-a inviável durante o inverno, e também é controlado o acesso de pessoas, tendo um limite máximo diário de visitantes.

Como chegar até a Ilha do Campeche?

O transporte até a ilha é feito geralmente através dos barcos da associação de pescadores da região, saindo da Praia do Campeche ou da Armação.

Porém, também é possível chegar de lancha ou outros barcos privados.

O transporte até a Ilha tende a ser um pouco caro, em regra, cerca de R$ 100,00, e você pode ficar até no máximo 04 horas na Ilha.

Você pode reservar sua ida até lá entrando em contato conosco.


Ilha do Arvoredo

Uma das três reservas biológicas marinhas do Brasil, essa ilha é um grande atrativo para quem gosta ou tem interesse em mergulhar, afinal é considerado um dos 3 melhores pontos de mergulho de todo Brasil.

Sendo com certeza o Melhor ponto de mergulho da região sul, graças à diversidade de animais marinhos e as águas de boa visibilidade, permitindo que você possa ver esse novo mundo escondido.

Não é o tipo de Ilha para você sair do barco e curtir a terra firme.

Lá é proibido qualquer atividade nociva à natureza, como caça e pesca, a fim de preservar a grande diversidade de vida que existe no local, inclusive algumas espécies ameaçadas de extinção.

Mas, o que gera tanta biodiversidade marinha nessa região?

É o estranho encontro das águas quentes brasileiras com as águas geladas das Ilhas Malvinas argentinas, assim você pode ver vários animais como arraias, tartarugas, golfinhos, cavalos-marinhos entre outros.

Como Chegar na Ilha do Arvoredo?

Barcos até a Ilha do Arvoredo saem tanto de Florianópolis como de Bombinhas, principalmente com o intuito de realizar mergulho ou snorkeling (espécie de mergulho na superfície).

Afinal, a Ilha do Arvoredo fica próximo a ambas cidades, cerca de 10 quilômetros.

A prática de mergulho é permitida na parte sul da ilha, e você pode ir com operadores de mergulho, espécies de agência de turismo que fornecem o mergulho como uma forma de passeio.

Dessa forma, você não precisa de curso prévio ou até mesmo saber nadar para mergulhar, pois, você estará acompanhado de um profissional certificado todo o tempo.


Ilha do Francês

Uma pequena Ilha paradisíaca localizada na região norte de Florianópolis, visível do bairro de Canasvieiras, com cerca de quase 60 mil m², águas calmas típicas de baía e de temperatura agradável com um visual sensacional.

Próxima às praias de Jurerê e de Canasvieiras- cerca de 1km-, muitos já a viram de longe, porém, poucas pessoas vão de verdade até a Ilha conhecer a sua beleza, o que a torna mais tranquila do que outras praias e locais de Banho durante o badalado verão catarinense, dando uma certa “exclusividade” à Ilha.

Falando sobre pontos de banho, a Ilha tem duas pequenas praias com águas calmas, típicas de baías, muitas pessoas aproveitam essas características para “atracar” suas embarcações, realizar Stand Up Paddle– espécie de Surf em pé-, e mergulhar!

Rica em natureza, a ilha do Francês tem cerca de 60 metros de comprimento e 8 de largura com rochas e mata atlântica por todos os lados, porém, é possível entrar na Ilha e andar por ela.

Inclusive, há habitantes a Ilha, até mesmo donos, pois essa ilha é “particular” e tem muita história nesse sentido.

Graças aos seus donos, a ilha também tem diversidade de plantas e flores, trazidas de outros locais (viajando grandes distâncias) para embelezar ainda mais a vista.

Inclusive o nome da ilha vem da história dos donos e habitantes dela: 

Acredita-se que a ilha foi de um francês por muito tempo, um veterano de guerra do exército de Napoleão Bonaparte.

Embora a ilha tenha tido muitos outros donos de outras etnias após o francês, o nome continua sendo o mesmo.

Mas a ilha já foi também do Inglês, do Alemão/Luxemburguês e atualmente do Argentino.

Muitas pessoas aproveitam para nadar lá, graças a temperatura agradável durante o período mais quente, geralmente de novembro até março.

Nessas águas também existe vida marinha, como peixes e outros animais, até mesmo golfinhos podem aparecer por ali.

Como Chegar até a Ilha do Francês?

Existem diversas formas de chegar até a ilha, algumas mais divertidas, outras mais perigosas, mas acredite: você consegue conhecer esse paraíso!

Algumas pessoas tentam ir nadando desde Canasvieiras ou Jurerê até a Ilha do Francês, são cerca de 2500 metros de nado ida e volta. Não é uma opção segura, pois pode haver mudança de tempo ou uma simples fadiga e se não houver ninguém para ajudar, há grandes riscos de morte por afogamento.

Quem fadiga no caminho , geralmente, é socorrido pelas embarcações que passam pelo local.

Porém, novamente você pode ir de Barco Pirata de forma segura e divertida, inclusive com um tempo  de cerca de 20 minutos para tomar banho nas águas da Ilha.

Reservas podem ser feitas entrando em contato e escolhendo o dia da sua aventura.


Ilha do Ratones Grande

Na baía norte de Florianópolis, existem duas ilhas irmãs chamadas de Ilha do Ratones Grande, sendo a maior das duas, e Ratones Pequeno, a menor e não tão divertidade para visitas.

A maior tem cerca de 620 metros de extensão e uma mistura de paisagem natural, que é considerada uma reserva de mata nativa, com uma grande fortaleza do ano de 1740 cheia de história.

O nome da construção histórica é Fortaleza de Santo Antônio construída pela coroa portuguesa e formava, junto à fortaleza da Ilha de Anhatomirim e  de São José da Ponta Grossa, um sistema triangular que servia para defender Santa Catarina de invasões, missão que falhou.

Então, também é uma ilha com um passado incrível recebendo muitos vistantes todos os anos, sendo considerada um patrimônio histórico e uma grande atração turística.

Porém, não há só isso.

Na mata, existe uma grande diversidade de animais e também trilhas que podem ser realizadas com a presença de ambientalistas credenciados.

Os costões rochosos são usados por pescadores da região e também por mergulhadores.

Como Chegar até a Ilha do Ratones?

É possível chegar até essa ilha através do passeio de escunas saindo de Canasvieiras, Sambaqui ou do trapiche da perto da ponte Hercílio Luz.

A ilha é administrada pela UFSC e uma pequena taxa é cobrada para entrar no local: R$ 8 inteira e R$ 4 meia-entrada.

Porém, você também pode ir de outras formas mais particulares como caiaques e lanchas, etc.

No Passeio de Barco Pirata, você tem a visão panorâmica dessa Ilha!

Barcos Ilha do Frãnces

Ilha do Francês

Ilha do Francês - Florianópolis

Uma pequena ilha que gera uma grande recordação.

Florianópolis, a Ilha da Magia, não é a única ilha da região. Na verdade, Florianópolis e suas redondezas são um sonho para quem gosta de ilhas: Ilha de Anhatomirim, Ilha do Campeche, Ilha do Arvoredo e a Ilha do Francês.

Hoje vamos falar sobre a Ilha do Francês: uma pequena Ilha paradisíaca localizada na região norte de Florianópolis com cerca de quase 60 mil m², águas calmas e de temperatura agradável com um visual sensacional.

Próxima às praias de Jurerê e de Canasvieiras- cerca de 1km-, muitos já a viram de longe, porém, poucas pessoas vão de verdade até a Ilha conhecer a sua beleza, o que a torna mais tranquila do que outras praias e locais de Banho durante o badalado verão catarinense, dando uma certa “exclusividade” à Ilha.

Falando sobre pontos de banho, a Ilha tem duas pequenas praias com águas calmas, típicas de baías, muitas pessoas aproveitam essas características para “atracar” suas embarcações, realizar Stand Up Paddle- espécie de Surf em pé-, e mergulhar!

Inclusive, nós do barco pirata não somos exceção: uma parada de cerca de 20 minutos para se refrescar nas belas águas da Ilha do Francês faz parte do nosso roteiro,  fazendo muito sucesso com os turistas.

A Ilha do Francês é pequena, mas tem muito a oferecer:

Rica em Natureza

A ilha do Francês tem cerca de 60 metros de comprimento e 8 de largura com rochas e mata atlântica por todos os lados, típico da região.

Porém, graças aos seus donos, a ilha também tem diversidade de plantas e flores trazidas de outros locais para embelezar ainda mais a vista.

Inclusive, há um orquidário, aglomerado de orquídeas, na área e um jardim com flores raras trazidas de todos os cantos do mundo pelo Dono da Ilha,  um argentino milionário que amava o local.

Formações rochosas rodeiam a ilha, inclusive algumas pessoas vão até elas para retirar fotos ou para descansar pegando sol.

A Ilha tem duas praias, uma maior e mais badalada que a outra menor que não é tão usada.

A praia maior tem uma faixa de areia branca-amarelada e pouquíssimas ondas como você pode ver na foto abaixo:

Muitas pessoas aproveitam para nadar, aproveitando a temperatura agradável durante o período mais quente, geralmente de novembro até março.

Nessas águas também existe vida marinha, como peixes e outros animais, até mesmo golfinhos podem aparecer por ali.

É possível notar as embarcações que estacionam nas redondezas e ficam por ali, alguns pescando, outros fazendo um churrasco e curtindo o visual.

Casa Ilha do Francês

História da Ilha do Francês

Talvez você tenha notado as casas que existem na ilha.

Bem, elas estão porque os donos da Ilha do Francês a botaram lá.

Na verdade, a ilha tem esse nome por uma razão: acredita-se que a ilha foi de um francês por muito tempo, um veterano de guerra do exército de Napoleão Bonaparte.

Embora a ilha tenha tido muitos outros donos de outras etnias após o francês, o nome continua sendo o mesmo.

Mas a ilha já foi também do Inglês, do Alemão/Luxemburguês e atualmente do Argentino.

Para ser mais exato, dos netos do Argentino Antônio Muniz Barreto responsável por parte da beleza da Ilha do Francês, ele que incrementou o orquidário, criado pelo dono alemão, e o jardim de flores.

Era verdadeiramente apaixonado pela Ilha e tinha como último desejo rever a ilha antes de morrer, o que aconteceu graças aos seus filhos, uma cena emocionante segundo os empregados do argentino.

Você pode acompanhar a linha do tempo da Ilha abaixo:

Como Chegar até a Ilha do Francês

Existem diversas formas de chegar até a ilha, algumas mais divertidas, outras mais perigosas, mas acredito: você consegue conhecer esse paraíso!

Algumas pessoas tentam ir nadando desde Canasvieiras ou Jurerê até a Ilha do Francês, são cerca de 2500 metros de nado ida e volta. Não é uma opção segura, pois pode haver mudança de tempo ou uma simples fadiga e se não houver ninguém para ajudar, há grandes riscos de morte por afogamento.

Quem fadiga no caminho , geralmente, é socorrido pelas embarcações que passam pelo local.

Há até mesmo eventos para fazer jornada a nado, como a TRAVESSIA FLORIPA SLSC “ILHA DO FRANCÊS ”  em que cerca de 100 nadadores treinados nadam por cerca de 30 minutos até chegar na ilha, param e recompõem a energia por lá, e voltam nadando novamente.

Se você não quiser arriscar, a forma mais divertida e segura de ir é com certeza o Passeio de Barco Pirata, que tem a Ilha do francês no roteiro, como você pode ver abaixo:

  • -> Saída do Trapiche de Canasvieiras;
  • -> Passagem pela Baía dos Golfinhos;
  • -> Parada para almoço na Praia da Costeira da Armação (Opcional);
  • -> Ilha de Anhatomirim (Tão incrível como a Ilha do Francês);
  • -> E finalmente a parada para banho na Ilha do Francês.
  • Gostou do roteiro? Então faça sua reserva antes que acabem todas as vagas do Barco Pirata.

Ou se você preferir algo mais caro, pode ainda ir de lancha ou até mesmo de jet ski até lá e aproveitar a ilha por quanto tempo quiser, tome cuidado com os banhistas e sempre tenha um motorista que sabe conduzir com você.

De qualquer forma, será uma memória inesquecível com toda certeza!

Mais fotos da ilha do Francês abaixo:

Ilha-de-anhatomirim

Ilha de Anhatomirim

a alcatraz brasileira:

ILHA DE ANHATOMIRIM

Conheça o belíssimo local que já serviu de fortaleza para defesa de Santa Catarina, prisão,espaço para execuções e sanatório.

A região de Florianópolis é conhecida por suas praias e natureza fascinante, mas saiba que existem muito mais atrações nesse paraíso.

Entre essas atrações, destacaremos hoje a história e as belezas naturais que você pode encontrar na região, mais precisamente na Ilha de Anhatomirim, local também conhecido como a “Alcatraz Brasileira”.

É um dos principais pontos turísticos de Santa Catarina, atraindo milhares de pessoas todos os anos interessadas na magia da Ilha e da diversão dos passeios de barco que as levam até lá, como o Passeio de Barco Pirata.

Fascinante desde o seu nome que vem do tupi e significa “Ilha do Pequeno Diabo”, ela já teve diversas funções ao longo da história, vamos destacar as mais interessantes ao longo deste post.

Geografia da Ilha de Anhatomirim

Mas primeiro vamos aos seus dados, ela está localizada no Município de Governador Celso Ramos, Baia Norte do estado de Santa Catarina, próximo a Florianópolis, sendo possível fazer um passeio completo por ela saindo de Canasvieiras e voltando em cerca de 3 horas, ainda aproveitando outras ilhas e visuais nos arredores, ou em 5 horas com parada para almoço.

É uma ilha rochosa de 4,5 hectares de extensão e rica em biodiversidade, principalmente marinha, já que muitas estrelas do mar, golfinhos e outros peixeis habitam as 3 praias que localizadas na ilha.

História da Ilha de Anhatomirim e do Forte de Santa Cruz

Historicamente, a Anhatomirim é um dos primeiros locais do sul brasileiro a ser ocupada pelos colonizadores europeus, mais precisamente os portugueses, graças à sua localização estratégica para a defesa de Florianópolis, chamada de Desterro durante a época.

Os portugueses tinham interesse em defender Floripa de invasões de outros países, principalmente da Espanha, então foram criadas quatro grandes fortalezas, sendo A Fortaleza Santa Cruz de Anhatomirim a primeira.

Assim surgiu a primeira função da Ilha: servir de defesa do litoral catarinense com seus diversos canhões e soldados. Função essa que não foi bem sucedida, inclusive, foi invadida e ocupada por pelo menos 8 meses por espanhóis.

Até que um tratado entre Portugal e Espanha, devolveu a ilha para os portugueses com a condição de não ser usada mais como base de guerra.

Durante a Guerra do Paraguai (1865 até 1870), surgiu sua outra função: presídio.

Assemelhando-se à Ilha de Alcatraz, foi uma prisão por diversas vezes ao longo da história por ser isolada da civilização e difícil de escapar.

Também foi ocupada por rebeldes durante a Revolução Imperialista (1892 até 1895) contra o presidente da época, até que então os rebeldes foram presos e executados no local, aproximadamente 170 pessoas.

Posteriomente no século 19, a Fortaleza serviu de sanatório para doenças contagiosas e epidemias, fiscalizando as embarcações que chegavam e também sendo usada de quarentena para os enfermos.

Na Segunda Guerra Mundial, recebeu armamentos e foi ocupada militarmente, porém, logo após o fim da guerra foi desativada.

Finalmente, durante a década de 70 a ilha foi recuperada e hoje é um dos principais pontos históricos e turísticos do Brasil.

história de anhatomirim

Ilha de Anhatomirim Passeio

Atualmente, a Ilha de Anhatomirim é uma área de proteação ambiental (APA) e a Fortaleza de Santa Cruz está sob a guarda e a tutela da Universidade Federal de Santaca Catarina (UFSC) que recebe e guia os turistas pela ilha e por sua história.

O acesso até a ilha só é possível por barcos, e o passeio mais divertido e recomendado para chegar até lá é feito pela Escuna Martin, confira o roteiro:

– Partimos do trapiche de Canasvieiras, localizado no norte da ilha de Florianópolis/SC;

– Vamos à Baía dos Golfinhos, sem parada, com vista das mais belas praias de Santa Catarina: Jurerê, Jurerê Internacional, Daniela, praia do Forte e da fortaleza de São José da Ponta Grossa;

– Almoço em restaurante de pescadores na Costeira da Armação, Governador Celso Ramos, podendo ser buffet livre e à la carte com duração aproximada de uma hora;

–  Conheceremos o Forte de Santa Cruz na famosa Ilha de Anhatomirim em que um guia contará a fascinante história da fortaleza em uma parada de uma hora para deslumbrar o local;

– Banho de mar próximo à Ilha do Francês de cerca de 15 minutos;

– Retornaremos ao ponto de partida, o trapiche de Canasvieiras, com uma recordação inesquecível.

 

Ilha de Anhatomirim Valor de Entrada

No Forte Santa Cruz, é cobrada pela UFSC uma taxa de visitação usada para preservar o local:

  • R$8,00 (oito reais), entrada normal;
  • R$4,00 (quatro reais) para crianças em idade escolar e adultos estudantes, mediante carteira de identificação;
  • Gratuito para crianças menores de 5 anos e pessoas maiores de 60 anos mediante apresentação de documento de identidade.

A taxa de visitação só pode ser paga em dinheiro.

E nao está inclusa no valor do passeio de barco pirata.

Ilha de Anhatomirim Fotos